No Equador, há um povo que vive até aos 120 anos e fumam, bebem álcool e usam drogas

10
2614
Gabriel Erazo
Gabriel Erazo

“O Século XX foi o século dos antibióticos, das doenças cardiovasculares e do cancro, e o 21 é o da longevidade”, diz o médico e escritor argentino Ricardo Coler (autor de “Eterna Juventud – Vivir 120 Años“), ao justificar porque crê que Vilcabamba é a Meca desta época em que ser saudável é fundamental.

O problema é que Vilcabamba carrega em si uma contradição. Apesar de viverem 120 anos e de não ficarem doentes, a conduta do seu povo está longe de ser regrada e a preocupação com a Saúde passa longe das suas roças, puros e chamicos. O chamico é uma planta tóxica e alucinogénica, também apelidada de erva-do-diabo, que antigamente era usada por xamãs e indicada para acalmar dores fortes, como a do parto.

“Os seus primeiros efeitos podem ser comparados com os da maconha; depois de algumas tragadas, somam-se os da cocaína”, explica Coler. “Traz alucinações, pensamentos fantásticos, perda de memória, excitação e fúria.” Em Vilcabamba, tornou-se hábito diário.

“Aos amantes da virtude é insuportável que os vilcabambenses vivam mais tempo e em melhores condições que os que não têm vícios. Parece injusto”, afirma Coler. “Nada do que eles fazem é recomendável.”

Um médico que foi estudar a aldeia saiu de lá sem grandes conclusões e a única mensagem que deixou para aqueles senhores foi: “Não comam sal”. Os longevos, é claro, ignoraram o conselho.

Como agir sem regras a seguir? É difícil, acredita Coler, numa época em que a medicina ocupa um lugar muito parecido com o que já teve a igreja. “Se você segue as suas vontades, paga com a doença. Estão sempre a castiga-lo com o que você faz. Quem pode discutir hoje um conselho médico? Se a medicina diz, é verdade.”

Velhice como doença

O médico está menos preocupado em encontrar a razão para a longevidade dos cidadãos de Vilcabamba do que em buscar fundamentos para a sua idéia da velhice como uma doença, entre tantas outras.

“Dizer que é normal e que todos envelhecem, mesmo que não pareça, é uma forma de pensar. Uma posição filosófica”, argumenta Coler no livro. “Será a doença mais difundida de todas, mas é uma doença. Parece que em Vilcabamba há uma espécie de antídoto que produz uma melhoria.”

Ele cita estudos que determinam que há cerca de dez causas de ordem molecular que provocam envelhecimento e sobre as quais em algum momento será possível actuar.

“Então os 120 anos que até agora são um limite poderão converter-se em 150. Velhice e morte deixarão de ser palavras absolutas”, acredita.

Em Vilcabamba, conta Coler, as pessoas não sofrem durante anos com doenças. Um dia, sentem-se mal e morrem. “Gostaria que o meu pai pudesse ter tido uma velhice como a de um deles. Seria bom se todos os problemas da idade não se estendessem, e se juntassem durante um período curto no final da vida”, afirma Coler, que, enquanto conhecia os saudáveis idosos equatorianos, tinha de administrar as idas ao hospital e às enfermeiras dos pais, “apenas” octogenários, mas doentes e dependentes.

Para ele, quando – e se – a fórmula da fonte da juventude da aldeia equatoriana for descoberta, talvez ela até possa ser distribuída. Mas, enquanto a água ou o ar vilcabambenses não chegam pelo correio, é melhor prevenir.

“O que hoje funciona é a prevenção. Mas prevenir muito tem algo de perverter um pouco”, escreve Coler. “Espero que em Vilcabamba exista outra possibilidade, a de viver mais sem se mortificar tanto.”

Adriana Küchler
13 de Novembro de 2008

Fonte: Folha de S.Paulo (Folha.com)

Artigo Original: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u467282.shtml

10 COMENTÁRIOS

  1. Obrigado pelos elogios.

    Amigo “Tira nada”, em relação à morte do Obama já foram escritos neste site vários artigos.

    Veja aqui:

    Ex-membro do Governo dos EUA afirma: Bin Laden morreu antes da invasão ao Afeganistão, e o 11/9 tratou-se de uma conspiração

    ( http://paradigma-matrix.com/?p=347 )

    E também aqui:

    A triste realidade da morte de Bin Laden

    ( http://paradigma-matrix.com/?p=344 )

    Hoje será lançado um novo artigo sobre o tema.

  2. Que massa o post, cara, não apareceu nada nesse link, mas sem duvida a maioria das doenças surgem por causa dos pensamentos das pessoas, essas pessoas citadas, conseguem conservar um cerebro ativo apesar da idade, e as drogas são os maiores resposaveis por isso, nós humanos somos seres drogados, tudo que comemos é transmutado e o organismo sofre alguma ação, existem alguma plantas que tem mais poder que outras, porém a alimentação da nossa sociedade infectada,transgenicos,seleção de especies,devastação da mata, é tudo um plano de escravização articulado pelos senhores da sociedade,ja existem alguns estudos sobre os alimentos que consumimos mas que são plantados em meio a mata, sem agrotoxicos, ou modificações celulares(transgenicos){nesse link você acha videos desse assuntos e muitos outros http://mundocogumelo.wordpress.com/downloads/

  3. Anónimo,

    As mais recentes pesquisas indicam que o stress é apontado como a causa principal do envelhecimento precoce, ao afectar um gene (telomerase) que também já foi tido o principal gene que provoca o envelhecimento.

    Da mesma forma, há aspectos que promovem o rejuvenescimento e a recessão do envelhecimento nesse mesmo gene.

    Quanto ao resto que referiu e que tem a ver com a actual alimentação entre outros, este site também se dedica a esse tipo de temas, os quais pode examinar no menu “Saúde”

    O site que referiu, já o coloquei nos ‘Marcadores’ e irei analisa-lo mais atentamente mais tarde 🙂

    Obrigado pela participação

  4. O corpo humano vem evoluindo através do tempo e ele se adapta a qualquer tipo de alimentação se preparando automaticamente para quaisquer substâncias pouco ou não tóxicas, o problema é o abuso. Tudo é equilíbrio na vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here