Alguns artefactos inexplicados

0
1789
Arte antiga de pinturas nas cavernas
Arte antiga de pinturas nas cavernas
  • A Arca da Aliança – A arca foi descrita na Bíblia como um recipiente sagrado onde foram guardadas as tábuas de pedra dos Dez Mandamentos. Terá este artefacto miraculoso existido mesmo e, se assim foi, será o objecto misterioso que agora jaz numa igreja em Axum, na Etiópia?
  • Minóico linear A – Uma escrita da cultura minóica de Creta, no final da Idade do Bronze. Foram encontrados exemplos gravados em jarros e tábuas descobertas em ilhas no Egeu e na Grécia continental, mas até agora a linguagem permanece indecifrada e é considerada uma das quimeras do estudo das escritas antigas.
  • O Pilar de Ashoka – Situado perto de Deli, na Índia, este pilar – aparentemente feito inteiramente de ferro – está totalmente isento de corrosão, apesar de se encontrar exposto aos elementos há mais de mil anos. Quem o erigiu e qual era o seu objectivo?
  • As origens do Zodíaco – Foram os Egípcios, os Babilónios ou os Gregos os primeiros a desenvolverem as doze constelações do Zodíaco, ou este tem uma origem pré-histórica?
  • A Pedra Filosofal – No processo místico da alquimia, a Pedra Filosofal era uma substância que podia transformar qualquer metal em ouro e também permitia criar um elixir que rejuvenescia os seres humanos. O que está por trás destas noções misteriosas e será que alguém já descobriu a Pedra Filosofal?
Arca da Aliança
Arca da Aliança
  • Os Papiros de Oxirinco – O local chamado Oxirinco, no Egipto, forneceu uma vasta colecção de textos antigos em papiros do período grego e romano da História do Egipto. Entre eles encontram-se poemas de Safo, evangelhos hebraicos e exemplares de Documentos gregos sobre magia e Astrologia.
  • A arte antiga das cavernas – Remontando há quarenta mil anos, a arte rupestre europeia é o mais antigo exemplo de pintura no mundo. O que estavam os nossos antepassados a tentar comunicar quando pintaram as paredes das cavernas e como chegaram a níveis tão elevados na sua habilidade?
  • A Lança do Destino – Conhecida na mitologia cristã como Lança Sagrada, esta foi a lança utilizada para ferir o corpo de Jesus. A relíquia foi aparentemente guardada em Jerusalém antes de ser levada para Constantinopla, onde a sua história se tornou confusa. A Lança Sagrada ainda existe e, se assim é, onde está guardada?
  • As Varas de Hórus – Também conhecidas como Varas do Egipto Antigo, estes curtos objectos cilíndricos costumam estar representados nas mãos de estátuas de antigos reis ou faraós egípcios. Que representam estas varas? Rolos de tecido, símbolos sagrados ou varas curativas?
  • O Santo Graal – Na Religião Cristã, este foi o prato ou taça usado por Jesus na Ultima Ceia. Deve o Graal ser entendido como uma metáfora para a realização espiritual ou existe um Graal físico? Se assim é, onde está?
  • Os relevos de Dendera – Será que os estranhos relevos no Templo de Hator, em Dendera, no Egipto, representam um antigo conhecimento da electricidade ou devem ser interpretados como representações de cenas mitológicas e religiosas?
  • A Pedra do Destino – Popularmente conhecida como Pedra da Coroação, este bloco de calcário foi utilizado durante séculos na coroação dos monarcas da Escócia e de Inglaterra. Quais são as origens desta pedra enigmática? Porque está associada à realeza?
  • A escrita ogham – O ogham foi um alfabeto utilizado pelos antigos irlandeses, galeses e escoceses, sobretudo para representar as línguas gaélicas. Pensa-se que o seu nome derivou do deus irlandês Ogma. Quais foram as origens desta misteriosa escrita e porque desapareceu?
  • A pirâmide bósnia – Situada na vila de Visoko, na Bósnia-Herzegovina, a noroeste de Sarajevo, o monte Visocica recebeu a atenção do mundo em Outubro de 2005 quando o empresário/explorador bósnio-americano Semir Osmanagic, de forma sensacionalista, anunciou que o monte era com efeito uma enorme pirâmide feita pelo Homem, remontando talvez há mais de doze mil anos, na última Idade do Gelo. Osmanagic afirmou que o monte, outrora o local de uma cidade medieval fortificada, possuía quatro encostas perfeitamente simétricas viradas para os pontos cardeais, um topo plano e uma entrada.
Pirâmide da Bósnia
Pirâmide da Bósnia

Durante as escavações feitas no local, Osmanagic e a sua equipa descobriram grandes blocos de pedra que ele acredita fazerem parte da camada exterior da pirâmide, túneis, interpretados pelos exploradores como tubos de ventilação para a estrutura, e lajes de pedra cortada e polida, que possivelmente fizeram parte dos lados da pirâmide. Osmanagic está convencido de que o monte, um terço mais alto do que a Grande Pirâmide de Gizé, no Egipto, foi criado pelo Homem e chamou à estrutura Pirâmide do Sol, devido à sua semelhança com a Pirâmide do Sol na cidade pré-colombiana de Teotihuacán, no México. Fotografias de satélite e imagens térmicas da zona revelaram mais dois montes semelhantes a pirâmides no vale de Visoko. Com efeito, Osmanagic afirma que existe no local todo um complexo de estruturas antigas, incluindo as Pirâmides Bósnias da Lua, do Dragão, do Amor e o Templo da Terra.

Uma indústria turística florescente cresceu à volta das fantásticas descobertas na zona do monte Visocica e já existem recordações da pirâmide em miniatura. Outros produtos turísticos estão já na calha, como instalações de hotelaria e um parque arqueológico.

No entanto, existe um desconforto crescente entre arqueólogos de todo o mundo no que diz respeito à genuinidade da descoberta. Muitos arqueólogos acreditam que os achados de Osmanagic no monte são de facto ruínas de estruturas romanas e medievais. O professor Anthony Harding, presidente da Associação Europeia de Arqueólogos, que visitou o local, acredita que o monte é uma formação natural. Harding exprimiu a sua descrença na ideia de que os caçadores recolectores do Paleolítico Superior, que itineravam pela região no final da última Idade do Gelo, tivessem tempo, recursos ou tendência para construírem um edifício tão vasto.

Algumas das afirmações de Osmanagic demonstram certamente uma falta de conhecimento da Pré-história europeia. Por exemplo, a sua afirmação de que o monte Visocica «é, com efeito, a primeira pirâmide europeia no coração da Bósnia» não é verdadeira. Existem pelo menos dezasseis exemplos de pirâmides na Grécia, sendo a mais antiga a de Hellinikon, situada a sudoeste de Atenas, na Argólida. Apesar de esta pirâmide ter sido datada de 2720 a. C., alguns arqueólogos contestam esses resultados e acreditam que uma data mais provável se situaria no final do Século IV a. C. Aparentemente, as pirâmides gregas assemelham-se às de Gizé, no Egipto, mas são muito mais pequenas.

As escavações de Osmanagic ainda decorrem no monte Visocica, enquanto o mundo aguarda provas convincentes (sob a forma de estruturas ou artefactos datados com bastante certeza) para o que reclama serem pirâmides da Idade do Gelo na Bósnia. Esperemos que quando as escavações revelarem as supostas estruturas elas possam falar por si próprias.

Fonte: Livro «História Oculta» de Brian Haughton

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here