A inadequação das Teorias da Conspiração para compreender o HAARP

0
1502
Teorias da Conspiração sobre HAARP
Teorias da Conspiração sobre HAARP

Devido ao incorrecto e infortuno manuseio de algumas tecnologias militares por parte de escritores conspiracionistas, a Sociedade foi inundada com suspeitas infundadas e boatos. Numa tal atmosfera “governada” pelo medo, não pode haver verdade objectiva nem nenhuma discussão científica séria. Esta tese sobre as tecnologias militares foi elaborada no sentido de acalmar os receios/medos fundamentais que foram incitados por todos os demais, numerosos e mais entusiasmados escritores. Como o que exigimos é a clarificação factual, esta tese contém apenas os factos históricos pertinentes ao desenvolvimento de certas armas e tecnologias de comunicação.

É imperativo para nós definir e estabelecer uma clara separação entre a nova literatura de Conspiração e as reais bibliografias científicas académicas. A lista crescente de Livros e ensaios “pop” sobre o HAARP são absolutamente inadequados como fontes científicas. Repetitivo e preso a um tipo muito específico de inspiração , estes escritores têm, mais recentemente, misturado tópicos HAARP com a comitiva disponível de histeria, isto é, a tendência geral de cenários de Conspiração. Sob estas águas turvas, percebemos o funcionamento de uma energia malévola, cuja natureza foi com sucesso e necessariamente reprimida ao longo dos milénios. Embora detalhado e muitas vezes bem fundamentado com referências bibliográficas, os textos conspiratórios não surgem sem aquele “atributo” insidioso de medo. Através do ponto de vista dos estudos científicos , tais circunvoluções normalmente evidenciam uma falta de formação. Mas a observação essencial que nos permite compreender a verdadeira fonte da qual os Livros de Conspiração citam, é a do próprio medo, excessivo e histérico.

Através de um exame mais detalhado, o conteúdo dos Livros de Conspiração não nos pode fornecer respostas científicas para as questões que se colocam. Não se pode julgá-los com base em estudos académicos deficientes. Sendo mal informados, mal equilibrados e ilógicos em todos os pontos de vista. A recente colecção de gravação “pop“, evidenciou a falta de familiaridade chocante, com o mais básico dos princípios de engenharia de rádio. Por isto nós não nos referimos apenas à sua falta de preparação na categoria das ciências alternativas, mas também aos velhos fundamentos da Ciência convencional. Citado como autoridade absoluta, os seus mal-entendidos não completam qualquer tese coesa que não proporcione nada mais que uma “produção” de histeria. Estes Livros não sustentam até o escrutínio de todos aqueles que, através de um estudo dedicado e pormenorizado, se tornaram eles próprios familiarizados com convenções científicas e alternativas esotéricas. Imerso nas águas turvas emocionais através dos quais eles escrevem, os seus leitores desafortunados rapidamente são puxados para baixo numa ressaca de interpretações vagas. Mas para além destas críticas, percebe-se a verdadeira razão por que tais escritores não poderiam formular um tema real e coeso entre as suas muitas discussões. Esta evidente histeria que estes Livros preconizam surgem a partir de uma outra  inspiração completamente diferente.

Arrastado para baixo, através da confusão e da paranóia, do material estrutural essencial do subconsciente, os escritores da Conspiração servem-se como médiuns desafortunados de um dilúvio submerso e incoerente das emoções. Esse fluxo, quando escrito na linguagem da consciência, evoca histeria com sucesso. A água branca emocional deste tipo de Livros bloqueou a verdadeira realização científica relativamente ao HAARP. O tema frequente daqueles cuja inspiração é tanto submersa e fundamentalmente subconsciente, cria um tom histérico que está a ser projectado na Sociedade. Além disso, porque estes textos não surgem da mente consciente, eles não podem, obviamente, fornecer coerência consciente para os seus leitores. Por isso, tais Livros,  tornam-se uma fonte extenta e eficaz de ignorância social sobre o tema. Enquanto a histeria teme a devastação dos sistemas ecológicos por um IRI totalmente operacional, o efeito mais poderoso do HAARP já fez o seu primeiro impacto e executou-o na parte visceral mais profunda da humanidade. O HAARP tem afectado a humanidade, seja ela impenetrável e irresistível. Alguns dizem que os escritores da Conspiração são sensíveis para aqueles que vocalizaram as correntes subconscientes agora predominantes em toda a Sociedade. Se isto for verdade, então podemos perdoar o seu estilo de escrita. Mesmo assim, só podemos compreender a mensagem obscura dos escritores nos Livros de Conspiração como simbolistas. Mas, como expressões simbólicas, estes Livros são incapazes de conceder conhecimentos científicos. Assim, pela sua própria natureza, estes Livros são inúteis para satisfazer aqueles que verdadeiramente têm actividades que procuram o conhecimento da engenharia. As questões das mentes jovens são muitas vezes completamente e efectivamente desviadas da realidade pela literatura de Conspiração disponível. As mentes dedicadas a este tipo de literatura permanecem totalmente ineficazes, como uma força empresarial para a melhoria social.

Teorias da Conspiração
Teorias da Conspiração

Tendo a sua inspiração inteiramente no seu subconsciente , Livros de Conspiração não representam Ciência. Livros de Conspiração não são trabalhos científicos. Eles são cada vez mais excelentes exemplos de arte simbólica verbalizada. Eles representam as reacções negativas do subconsciente a perseguir as ameaças externas. Tratam-se geralmente de provocações tecnológicas que o subconsciente negativo tanto odeia e procura destruir. Se há alguma verdade nestas obscuras ilusões com as quais elas se movem, estes símbolos estão a alertar o nosso mundo para uma crise iminente muito mais profunda do que qualquer outra Tecnologia pode fornecer. O próprio aparecimento destes símbolos anti-tecnológicos é perigoso. A mente subconsciente, que odeia Tecnologia e tem como intenção dirigir a Sociedade nas suas próprias águas turvas , já começou a sua ofensiva sobre ela. Exigindo atenção total, o subconsciente deseja dominar e destruir a Sociedade tecnológica. Mas este tema daria material para outra tese , as discussões mais fascinantes sobre a energia da própria consciência.

Tornou-se muito óbvio que aqueles que vomitam tais volumes vociferantes de histeria já se iniciaram, não no sólido histórico passado, mas nos seus próprios medos. As interferências assim determinadas libertam o subconsciente negativo para o grande público leitor. Como estes manuscritos foram, no seu próprio caminho através da Sociedade, um fluxo livre de energia emotiva, em vez de pensamentos conscientes, acrescendo, efectivamente, vitalidade. A vitalidade é absorvida por aqueles que lêem os manuscritos. Aqueles que lêem estes Livros, com a exclusão de todos os outros tipos de literatura técnica, expõem-se a uma fonte enganosa de esperança. Os temas da Conspiração nunca oferecerem uma escapatória para o leitor. Este é logo preso nos corredores do labirinto sem o fio de seda de Ariadne! Através da acreção de factos fragmentários, o fluxo subconsciente representado por estes Livros, atrai as mentes, já enfraquecidas, para mais longe da verdade.

Os fragmentos factuais que compreendem os Livros de Conspiração e o seu acompanhamento invariável de cassetes ​​e vídeos são designados para atrair o leitor a formar conclusões especializadas. Servindo quase sempre para satisfazer as necessidades pessoais dos leitores que procuram activamente uma Conspiração. Os escritores destes Livros não carregam nenhum ónus da prova. Desempenham um papel de provocadores, activadores irresponsáveis ​​e promotores de mal-estar social sem apresentarem soluções. O público agora parece necessitar dos serviços de inúmeros escritores e porta-vozes que fazem o seu dinheiro “vendendo” o medo e a histeria através da evocação de um fluxo metafórico de simbologia subconsciente. A população cujo sentimento mais íntimo nada espera, excepto decepção, prospera com os símbolos dos seus pesadelos e mensagens fragmentárias escritas pelos simbolistas da Conspiração. Assim, devemos considerar que um dilúvio contínuo de tais manuscritos-símbolo carregam em si um caminho para o novo género conspiratório.

Estes Livros, sendo colecções de símbolos obscuros e expressões subconscientes, é expectável que contenham declarações e opiniões mutuamente contraditórias. Os Livros de Conspiração nunca são os relatórios científicos que se propõem a ser. No entanto, torna-se óbvio que alguns escritores muito populares necessitam muito seriamente de um auto-exame e de um estudo fundamental, cada um no seu tema, como se pode observar na entediante leitura de vários textos. O seu único propósito é vender Livros e não transmitir factos. Deste modo verificamos que estas publicações apenas conseguem confundir os leitores em todos os aspectos.

Os Livros de Conspiração não são claras piscinas de água com o propósito de saciar uma sede científica séria. Mal entendidos e mal utilizados, muitos estudantes, servos do subconsciente, no entanto, procuram nestes Livros de símbolos, esperança de encontrar respostas para as questões científicas. Sendo assim, produzida pela energia do subconsciente negativa, os Livros de Conspiração são incapazes de nos servir com mais informações do que o medo que eles transmitem. O mundo obscuro das fantasias de pesadelo e figuras horripilantes não é o mundo a partir do qual os arquétipos e outros símbolos edificantes emergem, o do mundo super-consciente da visão e da revelação.

Muito infelizmente, estas publicações não contêm as respostas reais e os modelos reais que um público expectante espera. O único serviço que estes Livros de Conspiração parecem oferecer é a ampliação de correntes paranóicas. Deste modo, os Livros de Conspiração são expressões psicossociais de um substrato, minimizando energia, drenando a vitalidade para longe daqueles que continuam a lê-los. Estes próprios Livros são a prova de que uma nova incursão de energias subconscientes vinda das profundezas de pessoas susceptíveis, juntando-as em agregados pouco saudáveis. Poucos apreciam o poder de tais correntes, ou a energia inerente para nela trabalhar. Este aspecto do subconsciente é mortal para as sociedades que se entregam às suas expressões, sendo uma possível explicação para as culturas que rapidamente se erguem e caem.

Fonte: Livro «Secrets of Cold War Technology» de Gerry Vassilatos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here