Cronovisor: a máquina do tempo

2
3162
Publicação da notícia relativa ao Cronovisor num jornal espanhol
Publicação da notícia relativa ao Cronovisor num jornal espanhol

E que tal se você tivesse um aparelho no qual poderia visualizar o futuro e revisitar o passado? E se não precisasse do Christopher Loyd para o ajudar? Pellegrino Alfredo Maria Ernetti, um padre italiano, foi um dos seus criadores. O aparelho supostamente permitia aos seus utilizadores assistir a qualquer evento da história humana, sintonizando as vibrações remanescentes que são causadas por cada acção. (A sua equipa de investigadores e construtores – onde figuravam físicos alto gabarito -, incluíam Enrico Fermi, que também trabalhou na primeira bomba atómica). No seu leito de morte, Fermi admitiu que tinha falsificado visões da Antiga Grécia e da morte de Cristo, mas insistiu que o Cronovisor, que tinha desaparecido por essa altura, funcionava. Sem surpresas, os teóricos da conspiração afirmaram que o Vaticano é muito provavelmente, o actual detentor do Cronovisor original.

O Cronovisor (do grego Χρόνος, que significa ‘tempo’; visor, ‘reprodutor visual’) é um equipamento de existência duvidosa, uma espécie de máquina do tempo, ou, melhor dizendo, um aparelho capaz de captar ondas quânticas do passado, que permaneceriam no universo. Foi construído na segunda metade do século passado.

Enrico Fermi
Enrico Fermi

Segundo o palestrante Clóvis Nunes, o padre italiano Pellegrino Alfredo Maria Ernetti, afirmou que o Cronovisor teria sido desmontado, por questões políticas, económicas e teológicas óbvias, e os seus componentes estariam agora numa sala secreta do Vaticano.

O Cronovisor é composto por um tubo visualizador/projector de três dimensões, uma antena composta de uma liga de metais de todos os tipos e um selector que funciona à velocidade da luz.

O padre relata no seu livro que viu/ouviu em três dimensões vários acontecimentos históricos importantes do passado, tais como a apresentação de uma tragédia perdida: «Tiestes», do pai da poesia latina, Quinto Ênio, na Roma de 169 a.C.

Jesus Cristo
A imagem de Jesus Cristo no Cronovisor

Afirmou também ter visto a morte do próprio Jesus Cristo na cruz. A imagem ao lado esquerdo foi supostamente tirada pelo Cronovisor, e refere-se a Jesus Cristo.

A psicometria, fenómeno bem conhecido dos espíritas, serviria como base para a hipótese inicial da construção do Cronovisor.

2 COMENTÁRIOS

  1. Quem assina essa matéria faz a afirmação sobre Fermi, mas não fornece prova ou evidência alguma do que afirma. Além disso, o cronovisor do Vaticano era em 2D numa tela CRT e as imagens em preto e branco.
    Aparentemente o redator acima, não conhece os fatos que são conexos ao cronovisor, como por exemplo, este ter sido repassado aos EUA para refinamentos. Um cronovisor muito mais avançado em 3D e posteriormente em 4D foi utilizado no Projeto Pegasus. Ao contrário de quem assina a matéria acima, eu forneço as fontes verídicas. Digitem no Google, ‘projeto pegasus’ ou ‘Andrew Basiago’ que faz nesse momento inúmeras palestras contando todo o ocorrido e com provas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here