Budismo, Hinduísmo e Maçonaria

3
2901
Estátua de Buda
Estátua de Buda

A Maçonaria, como escola iniciática, tem muitos pontos de contacto com o budismo. Ela, da mesma maneira, pugna pelos bons costumes, pela fraternidade e pela tolerância, respeitando, todavia, a liberdade de consciência do homem, a qual não admite a imposição de dogmas. Embora com algumas ligeiras modificações, as Quatro Nobres Verdades e os Oito Nobres Caminhos estão presentes em toda a extensão da doutrina maçónica, que ensina, aos iniciados, o desapego às coisas materiais e efémeras e a busca da paz espiritual, através das boas obras, da vida regrada, do procedimento correcto e das palavras verdadeiras.Há, no budismo, um profundo respeito por todas as criaturas vivas, fazendo com que os adeptos da doutrina considerem como obrigação fundamental dos seres humanos, viverem em paz, harmonia e fraternidade com os seus semelhantes.

O conceito de Grande Arquitecto do Universo, como o entende a Maçonaria, não existe no budismo, pois, para este, não existe começo nem fim, criação ou céu, ao contrário do hinduísmo e do bramanismo (forma mais requintada do hinduísmo), que são as religiões mais antigas da Índia, ambas originárias da religião védica (baseada nos Vedas, os seus livros sagrados). Para o Rig Veda, o texto máximo do hinduísmo, existia, no começo dos tempos, o mundo submerso na escuridão, imperceptível, sem poder ser descoberto pelo raciocínio.

O budismo é uma religião e filosofia que engloba um conjunto de crenças, tradições e práticas baseadas nos ensinamentos atribuídos a Siddhartha Gautama, mais conhecido como Buda (palavra que em páli/sânscrito significa “O Iluminado“). Buda viveu e desenvolveu a sua filosofia no nordeste do subcontinente indiano, entre os séculos IV e VI a. C. Ele é reconhecido pelos adeptos como um mestre iluminado que compartilhou as suas ideias para ajudar os seres sencientes a alcançar o fim do sofrimento, alcançando o Nirvana e escapando do que é visto como o ciclo de sofrimento do nascimento e da morte (A Roda do Samsara). Alguns mestres budistas, porém, ensinam que o Nirvana é uma percepção, um insight e não um estado, pois nem todas as escolas do budismo crêem na reencarnação.

Para ser maçom, é condição essencial a crença num Ser Supremo Criador de todos os mundos e para o budista, não existe um Deus criador. É preciso entender que na realidade o conceito de G.A.D.U. como entendemos na Maçonaria não existe no budismo. Para o qual não há princípio nem fim, ao contrário do hinduísmo e do bramanismo.

3 COMENTÁRIOS

  1. Só uma correção: o budismo não nega a existência da Divindade, nem a afirma. O budismo prega que cada pessoa deve buscar a verdade, sua verdade relativa.
    Assim como há ateus budistas, há monoteístas e politeístas budistas.
    O budismo é visto de maneira simplista como uma religião no Ocidente, mas é encarado como uma filosofia de vida no Oriente, independendo da crença religiosa de seu praticante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here