A maldição de James Dean

0
1623
O Porsche de James Dean após o acidente
O Porsche de James Dean após o acidente

Às vezes é a própria coisa, uma jóia fabulosa ou um navio malfadado, que parece abrigar e perpetuar uma maldição. Outras vezes, uma figura pública pode vir a ser, inexplicavelmente, ligada a um objecto em particular, provocando a mão do destino.

Poderá ter sido o caso do Porsche em que James Dean, a lenda dos adolescentes rebeldes dos anos 50, colidiu e morreu em 1955, terminando de forma trágica o que muitos consideravam como uma das carreiras mais brilhantes e promissoras de Hollywood de todos os tempos.

Independentemente de qual tenha sido seu pedigree anterior, o facto é que, a partir do momento em que James Dean morreu ao volante, aquele Porsche passou a sofrer sua própria fase de má sorte. Depois da morte do ídolo, George Barris, entusiasta por carros desportivos, comprou-o, mas, quando estava a ser tirado do guincho, o automóvel escorregou e partiu a perna do mecânico. Barris vendeu o motor a um médico e piloto amador, que o instalou no seu carro. Algum tempo depois, o médico perdeu o controlo da máquina durante uma competição e morreu. Outro piloto, na mesma corrida, ficou ferido numa colisão. Acontece que esse segundo carro estava equipado com o eixo cardã do Porsche de James Dean.

A carroceria e o chassi do Porsche ficaram tão irremediavelmente danificados no acidente do ídolo que acabaram expostos como parte da campanha de segurança nas estradas. Em Sacramento, o que restava do automóvel caiu da plataforma, partindo a bacia de um adolescente que visitava a exposição. De seguida, ao ser transportado para outra cidade num camião, a máquina provocou outro acidente. O motorista do carro que bateu na traseira do camião foi atirado para fora, atropelado e morto pelo Porsche maldito.

Porsche de James Dean
Porsche de James Dean

Um piloto de corridas quase morreu, depois de usar dois pneus do carro fatídico de James Dean. Os pneus estouraram ao mesmo tempo. Enquanto isso, a exposição itinerante continuou a fazer das suas. No Oregon, o travão de emergência do camião que transportava o Porsche falhou e o veículo foi de encontro à vitrine de uma loja comercial. Quando estava montado sobre suportes em Nova Orleans, o carro praticamente desintegrou-se, partindo-se em onze partes.

O carro desportivo de James Dean, bem como a maldição que o acompanhava, desapareceu quando o Porsche foi enviado de volta a Los Angeles, de comboio.

Fonte: Livro «O Livro dos Fenómenos Estranhos» de Charles Berlitz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here