O Poder da Oração: um estudo científico

0
3562
Poder de orar
Poder de orar

Muita gente considera a Ciência como inimiga da Religião. Mas certos projectos de pesquisas experimentais, algumas vezes, trazem Documentos preciosos sobre o poder da fé. Um desses projectos foi empreendido pelo Dr. Randy Byrd, cardiologista e cristão devotado. O Dr. Byrd estava tão intrigado com o possível poder da oração que decidiu realizar uma experiência para testá-lo.

Como na ocasião o cardiologista estava a trabalhar no San Francisco General Hospital, certamente tinha um número mais do que suficiente de pacientes à disposição. Ele começou a programar um computador para a escolha de 192 pacientes com problemas cardíacos, enquanto outros 201 pacientes similares foram escolhidos para servir como grupo de controlo. Byrd queria ver se aqueles pacientes para os quais seriam feitas orações podiam mostrar recuperação pós-operatória mais rápida do que o grupo de controlo. Ele, pessoalmente não fez as orações, porém solicitou a pessoas seleccionadas e a grupos de religiosos em todo o país que participassem do estudo.

Os participantes vieram dos mais diferentes lugares e receberam os nomes dos pacientes, sem qualquer possibilidade de conhecê-los pessoalmente ou de manter qualquer tipo de contacto com eles. Além disso, nenhum dos pacientes tomou conhecimento de que estava a ser objecto de estudo.

A experiência demorou um ano para ser completada e confirmou inteiramente a crença de que as orações realmente funcionam. O Dr. Byrd relatou os surpreendentes resultados do trabalho, em 1985, na reunião anual da American Heart Association, realizada em Miami.

Oração
Oração

– Num grau estatisticamente significativo – declarou ele perante o grupo -, os pacientes para os quais foram feitas orações exigiam tratamento pós-operatório à base de antibióticos menos intensos e apresentaram menos edemas pulmonares (a formação de água nos tecidos dos pulmões).

O cardiologista descobriu também ser menor o registo de mortes entre os pacientes para os quais foram feitas orações durante a pesquisa, muito embora esse número não fosse estatisticamente significativo.

A reacção ao estudo por parte de outros médicos foi surpreendente. Muitos deles adoraram-no. Provavelmente a reacção mais inesperada foi a do Dr. William Nolan, autor de« The Making of a Surgeon» («A Formação de um Cirurgião») e declaradamente um crítico severo da medicina fora dos padrões ortodoxos – especialmente as curas religiosas. Até ele ficou impressionado com o estudo de Byrd.

– Que funciona, funciona – comentou ele, falando a respeito do poder da oração, quando instado a fazer declaração sobre o estudo do Dr. Byrd para a revista Medical Tribune.

Fonte: Livro «O Livro dos Fenómenos Estranhos» de Charles Berlitz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here