4 mil militantes do Estado Islâmico entraram na Europa como refugiados

0
131
Crise migratória
Crise migratória

Um operacional sírio afirmou que mais de 4 mil atiradores secretos do Estado Islâmico foram contrabandeados para as nações ocidentais, escondidos entre refugiados inocentes.

Este homem, que está na casa dos trinta anos e é descrito como tendo uma barba preta aparada, revelou que a operação clandestina em andamento foi um sucesso total.

Estado Islâmico
Estado Islâmico

Acredita-se que o Estado Islâmico, também conhecido como IS e ISIS, esteja a contrabandear para países europeus mais ricos activamente homens armados através da fronteira turca, escassamente protegida.

Eles seguiram a rota percorrida por refugiados e migrantes em fuga, cruzando a fronteira com a Turquia, de seguida, em barcos que cruzam a Grécia e a Europa.

“Existem agora mais de 4 mil pistoleiros secretos do Estado Islâmico “prontos” em toda a União Europeia”, afirmou.

O agente disse que a infiltração secreta foi o início de um plano maior para realizar ataques de vingança no ocidente em retaliação aos ataques aéreos da coligação liderada pelos Estados Unidos da América.

“Extremistas do Estado Islâmico estão a aproveitar a generosidade das nações desenvolvidas para com os refugiados para infiltrarem-se na Europa”, disse ele.

Os refugiados foram aplaudidos ao chegarem à Alemanha, depois de viajarem pela Hungria e pela Áustria.

Os atiradores letais da ISIS utilizam contrabandistas locais para misturar-se e viajar com a enorme maré de imigrantes ilegais que inundam a Europa.

Mais de um milhão e meio de refugiados fugiram para a Turquia, desesperados para escapar do derramamento de sangue na Síria.

Migrantes atravessam mar mediterrâneo
Migrantes atravessam mar mediterrâneo

De cidades portuárias turcas como Izmir e Mersin, milhares de refugiados aventuram-se pelo mar mediterrâneo em direcção à Itália.

Em seguida, a maioria procura nações mais receptivas, como a Suécia e a Alemanha, entregando-se às autoridades e pedindo asilo.

Dois contrabandistas de refugiados turcos apoiaram as afirmações feitas pelo agente da ISIS na Síria.

Um admitiu ter ajudado mais de dez rebeldes treinados, pertencentes ao Estado Islâmico, a infiltrarem-se na Europa disfarçados de requerentes de asilo.

O mesmo afirmou: “Estou a enviar alguns lutadores que querem ir visitar as suas famílias. Outros simplesmente vão para a Europa para preparar-se”.

O operativo sírio, ex-membro das forças de segurança do seu país, disse que o Estado Islâmico tem planos ambiciosos pela frente.

Ele afirmou: “É o nosso sonho que haja um califado não apenas na Síria, mas em todo o mundo e o teremos em breve, se Deus quiser”.

O operativo concordou com uma reunião a pedido de um ex-atirador do Exército Livre da Síria que lutou ao lado dele na guerra.

O sírio disse que recebeu permissão para participar da reunião, pelo seu superior na ISIS, um radical referido pelos membros do grupo como um “emir“.

Durante a reunião, o agente disse acreditar que futuros ataques atingirão apenas governos ocidentais, não civis.

Embora os detalhes da “trama de terror” sejam algo sobre o qual ele têm pouco controlo.

A revelação veio depois que um porta-voz do Estado Islâmico no início deste ano pediu aos muçulmanos no ocidente para realizarem ataques terroristas.

O jihadista disse aos seguidores ocidentais que se eles tivessem a oportunidade de “derramar uma gota de sangue” nos países ocidentais eles deveriam fazê-lo.

O porta-voz Abu Mohammed al-Adnani também elogiou os ataques terroristas ocorridos na Austrália, Bélgica e França.

Abu Mohammed al-Adnani
Abu Mohammed al-Adnani

Abu Mohammed afirmou: “Repetimos o nosso apelo aos muçulmanos na Europa, no ocidente infiel e em todos os lugares para que visem os cruzados nos seus países de origem e onde quer que os encontrem.

“Seremos inimigos, na frente de Deus, de qualquer muçulmano que pode derramar uma gota de sangue de um cruzado e se abster de fazer isso com uma bomba, bala, faca, carro, pedra, ou mesmo um pontapé ou soco” afirmou.

Um funcionário do Ministério das Relações Exteriores turco disse que as autoridades estão a trabalhar activamente para reprimir o contrabando de refugiados.

Ele ressaltou que, como a Europa aceita poucos refugiados pelos canais legais, a demanda por contrabando aumentou.

“A migração ilegal tem sido uma questão importante e a Turquia está efectivamente a lutar contra ela”, confirmou o funcionário, que recusou identificar-se.

“É claro que a maneira mais eficaz de pôr fim a todos esses problemas seria uma acção imediata da comunidade internacional para resolver o conflito na Síria“, afirmou o funcionário.

Quando questionado sobre o contrabando de agentes do Estado Islâmico em barcos de refugiados inocentes, o funcionário anónimo disse que o seu governo não tinha conhecimento disso.

“Não temos essa inteligência particular”, disse ele.

“A Turquia tem tomado medidas muito rígidas contra o Estado Islâmico com todas as capacidades que o governo tem”.

Fonte: express.co.uk

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here