É possível a quebra da Reserva Federal dos EUA?

0
592
FED Crash
FED Crash

Durante o mês de Outubro, os meios de comunicação a nível mundial centraram-se na possível suspensão de pagamentos por parte do governo dos EUA e na crescente dívida nacional. Durante todo este tempo uma poderosa instituição financeira permaneceu fora dos debates.

Trata-se da Reserva Federal (FED), que cumpre as funções do Banco Central dos EUA.

Por norma, esta instituição é considerada imortal e inafundável, sendo capaz de resgatar e reanimar o que quer que precise do seu auxílio.

Nos quase cem anos da sua existência nunca foi mencionado que a Reserva Federal pudesse estar em situação de falência, algo que já sucedeu a alguns bancos convencionais.

Acontece que o programa da Reserva Federal não ajuda o sector real da Economia nem os cidadãos que procuram trabalho, mas  sim os bancos, que receberam grande apoio do governo e da Reserva Federal durante a crise financeira.

No entanto, a própria FED pode fracassar, mesmo que o dólar não atinja o seu ponto crítico.

O portal russo «Newsland» vincula esta possibilidade à política de flexibilização quantitativa, que desde 2010 tem vindo a injectar intensamente dinheiro na Economia do país.

Oficialmente, o objectivo desta política é superar as consequências da crise financeira, especialmente diminuir o desemprego, que em alguns meses alcançou os 10%.

Desde Setembro de 2012 que está vigente o terceiro programa de flexibilização quantitativa, o qual envolve a injecção de 85.000 milhões de dólares por mês, mediante a compra de títulos do tesouro (no valor de 45.000 milhões) e títulos hipotecários (no valor de 40.000 milhões).

Os valores têm vindo a ser comprados no mercado secundário, ou seja, em bancos e outras instituições financeiras dos EUA.

No entanto, enquanto os títulos do Tesouro se consideram seguros, as hipotecas são classificadas como ”lixo”.

”Acontece que o programa da Reserva Federal não ajuda o sector real da Economia ou os cidadãos que procuram trabalho, mas sim os bancos, que receberam ajudas enormes do governo e da Reserva Federal em plena crise financeira”, escreve o portal. Estes factos fazem com que a FED passe de uma credora de instância suprema a um banco comercial de reputação questionável a respeito da composição de activos.

Resgatando os bancos de Wall Street, a Reserva Federal pode ver-se na mesma situação de naufrágio, porque a sua balança está pior do que parece.

Os títulos de ”lixo” têm um valor sobrestimado em relação ao seu verdadeiro valor. Quando a FED os tenta vender, sofre perdas tangíveis.

Quando a agência Bloomberg se deu conta desta situação, previu 547.000 milhões em perdas num cenário adverso e num cenário mais favorável, 216.000 milhões.

Bloomberg descreveu-as como ”perdas potenciais sem precedentes em toda a história da Reserva Federal.”

FED Crash
FED Crash

“A FED passou de credora numa instância suprema a um banco comercial de reputação questionável a respeito da composição dos seus activos”, afirma «Newsland».

Antes da introdução do terceiro programa de flexibilização quantitativa, a Reserva Federal trocou os títulos a largo prazo na balança dos bancos, por títulos a curto prazo do seu portfólio.

Esse tipo de ajuda pode causar perdas adicionais à FED, pois o preço dos ”longos” cairá se se suspender o programa de flexibilização quantitativa.

Note-se que a receita recorde oficial da Reserva de 91.000 milhões de dólares em 2012, é 2,4 vezes menor do que as perdas potenciais mínimas estimadas pela empresa MSCI para Bloomberg e 6 vezes menores  que as perdas máximas.

De acordo com dados recentes, a FED aumentou a proporção dos seus activos em títulos de ”lixo” de 30,6%  para 36,6% num ano. Obviamente, este aumento resulta no desequilíbrio da balança e no aumento das perdas potenciais.

15 de Novembro de 2013

Fonte: RT (Rússia Today)

Artigo Original: http://actualidad.rt.com/economia/view/111327-posible-quiebra-reserva-federal-eeuu

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here