Terá o mito do Jó bíblico tido origem suméria ?

9
2983
Jó Bíblico
Jó Bíblico

Segundo o professor ucraniano Samuel Noah Kramer, que se especializou no estudo da antiga Assíria, o “primeiro ” existiu na antiga Suméria.

Jogando com fragmentos de barras de argila no Museu de Antiguidades, em Istambul, Kramer foi capaz de ler boa parte de um poema sumério que, tal como o livro bíblico de , trata da queixas de um homem justo que, em vez de ser abençoado pelos deuses, sofria toda a espécie de perdas e desrespeitos: “A minha palavra verdadeira foi tornada numa mentira”, grita ele angustiado.

Na segunda parte, o sofredor anónimo dirige súplicas ao seu Deus de uma forma semelhante a alguns versos dos salmos hebreus:

Meu deus, tu que és o meu pai, que me criaste – ergue a minha face…
Até quando me negligenciarás…
Me deixarás desprotegido…
E sem orientação?

Segue-se depois um final feliz. “As palavras justas, as palavras puras proferidas por ele, foram aceites pelo seu Deus… o seu Deus retirou a sua mão da malfazeja manifestação”.

9 COMENTÁRIOS

  1. Amigo Jéferson,

    Aparentemente o texto foi-se tornando “monoteísta”. Segundo pesquisas, vários textos hebreus da Bíblia foram adaptados de outros textos mais antigos, sobretudo Egípcios e Babilónicos, e nessa transição o plural Deuses usado nessas antigas sociedades politeístas foi sendo substituído pelo singular “Deus” das tradições monoteístas das religiões mais recentes.

    Um dos pesquisadores deste tema foi Zecharia Sitchin, tendo sido a sua biografia já citada neste site.

    Cumprimentos. 🙂

  2. Não é só porque existe um documento que contém uma história parecida com a de Jô, que os hebreus pegaram a historia e a adaptoaram as suas crenças.

  3. Exacto anónimo. São apenas hipóteses que na nossa opinião merecem ser consideradas…

    A nossa inclinação em escrever sobre a hipótese de terem sido os Hebreus a copiarem textos de outros povos é somente porque a maioria das pessoas estão apegadas aos textos bíblicos como sendo uma autoridade, sem perspectivarem outras opções.

    Limito-me a dar a conhecer ou publicitar outras hipóteses que também merecem ser consideradas… 🙂

  4. minhas sinceras saudações ao autor deste relevante Blog, e aos leitores de modo geral a começar dos comentarias.
    Quanto a excelente postagem que abre portas para um debate sadio, deixo uma breve opinião com respeito a todos:
    A Palavra “Deus” no hebraico se escreve duas maneiras “Elohim” no plural referindo-se a Trindade, e “Eloha” referindo-se no singular a manifestação de um deles.
    Os Manuscritos mais antigos do mundo são judeus, não temos nenhum manuscrito de outros povos que sejam mais antigos do que os manuscritos judeus, que venham servir como prova que os judeus plagiaram alguma literatura de outros povos. Não temos até o presente momento nenhuma literatura que conte a história de um personagem como Jó, pertencentes a outros povos.

  5. Leiam o conceito de dissonância cognitiva e verão o pq de algumas pessoas estarem impossibilitadas de aceitarem evidências. Dizer q o texto hebreu é o mais antigo demonstra como se busca até mesmo inventar falsos dados para justificar a ilogicidade. Deem uma olhadinha na “Dissonância Cognitiva” e questionem suas verdades.

  6. A biblia inteira é plágio de livros sumérios e babilônicos. Genesis é plágio do Livro de Enki. A maior parte das histórias e poemas são encontrados de tabletes de argila com escrita cuneiforme.

    Jesus é plagiado de mitos parecidos. Apocalipse de joão é plágio do Enuma Elish Sumério.

    Todos os contos são em sua maioria plágio. Vamos lembrar da fundadora da Igreja Adventista Ellen G. W. que plagiou e enganou todo mundo com suas profecias baseadas em Daniel.

    No cristianismo até suas datas comemorativas e festas foram tomadas de antigos mitos.

    Espalham contos que nem mesmo está na bíblia como verdade bíblica.

    Os judeus sempre eram mau vistos como comerciantes sem pudor. Na religião, cabe lembrar, que o patriarca Abraão, era um politeísta escolhido pelo sumério Enlil, que na versão bíblica é escolhido por YHWH.

  7. “Seres referências “satânicas” e mitos no livro de Jó estão lá para, finalmente, desconstruir falsas, e reiteramos a onipotência absoluta do Senhor como a única fonte de poder, o único Deus. E isso, claro, seria de esperar de um livro inspirado por Deus, o Antigo Testamento. Os críticos literários têm sugerido que o prefácio que menciona Satanás (Jó, capítulos 1 e 2) e epílogo (Jó 42:7-17) foram escritos provavelmente antes dos discursos poéticos, parecem ser “uma revisão de um antigo israelita épico cananeus e edomita expressar seus pontos de vista sobre o velho problema do mal “(2). Assim, nos referimos a essas idéias e desconstruir, Deus é retratado como poderoso, e Satanás como falsas crenças.” Diabo Real

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here